Os 7 erros que não deve cometer ao fazer o seu currículo

Conheça a lista dos erros mais comuns e que podem levar os recrutadores a descartar o currículo no processo de seleção. São dicas simples que podem fazer a diferença. Um currículo bem preparado é um bom começo para encontrar rapidamente uma oferta de trabalho.

Os 7 erros que não deve cometer ao fazer o seu currículo

Os 7 erros que não deve cometer ao fazer o seu currículo

Conheça a lista dos erros mais comuns e que podem levar os recrutadores a descartar o currículo no processo de seleção. São dicas simples que podem fazer a diferença. Um currículo bem preparado é um bom começo para encontrar rapidamente uma oferta de trabalho.

Criar um currículo pode ser uma verdadeira dor de cabeça, especialmente para quem está a entrar no mercado de trabalho. Que tipo de experiência é mais valorizada? Deve ser formal ou informal? Tem que mencionar a idade? Simples ou elaborado?

Para ler depois
As 5 perguntas mais habituais em entrevistas de emprego por videoconferência
Na era da covid-19, as entrevistas de emprego em vídeo tornaram-se virais, mas muitos candidatos ainda estão mal preparados. A boa notícia é que embora seja um método diferente, as questões são idênticas às de uma entrevista presencial (… continue a ler aqui)

1. A sua experiência não tem toda o mesmo nível de relevância

Sem dúvida que a experiência é um dos fatores mais importantes ao elaborar o seu CV, mas nem toda a experiência é relevante. Por exemplo, se terminou a sua formação recentemente é preferível mencionar um estágio que tenha feito ao invés de pequenos trabalhos durante o verão. Se tem anos de experiência profissional, nem toda terá a mesma importância para a posição a que se candidata: destaque o que pode ser mais relevante para o cargo em causa.

2. Estado Civil

Quem recruta estará mais atento às suas skills do que às informações pessoais. A vida pessoal é apenas sua, além de que dar informações sobre o estado civil pode ser visto como uma tentativa de influenciar a decisão de contratação.

3. A idade e a fotografia não são obrigatórias

Não há nenhuma regra que diga que é obrigatório colocar a sua idade ou fotografia. Sabemos que por vezes pode ser um fator de discriminação e é ilegal que uma empresa lhe exija este tipo de informação. A sua experiência e competências deverão sempre ser o mais relevante na decisão de contratação.

4. Sinceridade acima de tudo

Como diz o ditado popular, a mentira tem perna curta. Em nada beneficiará mentir, não só não o irá levar longe profissionalmente, mas também é um péssimo início de relação com a entidade empregadora. Ser honesto em relação às suas limitações profissionais irá dar espaço para que possa melhorar e crescer.

5. Seja impessoal

Não escreva na primeira pessoa, um tom indireto é bastante mais profissional. Um currículo deve ser prático, não conte a história da sua vida. Por exemplo, em vez de escrever “trabalhei x anos nesta empresa, encarregado de x funcionários” opte por “nome do cargo nesta empresa durante x anos, encarregado de x funções”. No que diz respeito ao e-mail certifique-se que é sério e profissional. Podem colocar-se exceções nas funções mais criativas, onde ter um tratamento mais pessoal pode ser uma vantagem e um CV criativo é quase um requisito.

6. Esqueça as redes sociais não profissionais

Uma das únicas redes sociais que deve mencionar é o LinkedIn. Concentre-se apenas em redes que mostrem a sua work persona, a não ser que outras redes mostrem uma faceta pessoal que possa ser enriquecedora para o trabalho para o qual se está a candidatar, como por exemplo a apresentação de um portfólio.

7. Coloque referências

As referências são importantes mas não são um fator determinante. Se as tiver, indique-as, se não, não ponha nada. Se já tiver experiência, o recrutador já sabe quem deve contactar se precisar de informações extra.

Impala Instagram


RELACIONADOS