Porta-aviões dos EUA “USS Harry Truman” à disposição da NATO pela 2.ª vez em 2022

O grupo de ataque do porta-aviões norte-americano “USS Harry S. Truman” colocou-se à disposição do comando da NATO pela segunda vez em 2022, juntando-se a manobras aliadas nos mares Mediterrâneo, Báltico e Adriático, informou hoje a Aliança Atlântica.

Porta-aviões dos EUA

Porta-aviões dos EUA “USS Harry Truman” à disposição da NATO pela 2.ª vez em 2022

O grupo de ataque do porta-aviões norte-americano “USS Harry S. Truman” colocou-se à disposição do comando da NATO pela segunda vez em 2022, juntando-se a manobras aliadas nos mares Mediterrâneo, Báltico e Adriático, informou hoje a Aliança Atlântica.

Em conjunto com noutros navios dos Estados Unidos, o porta-aviões vai fazer parte do exercício “Escudo de Neptuno 2022”, que acontecerá de 17 a 30 de maio, adiantou a NATO em comunicado.

Em janeiro, o “USS Harry S. Truman”, um porta-aviões de propulsão nuclear, já havia sido colocado à disposição da NATO para outros exercícios, no que foi a primeira transferência de um grupo de porta-aviões dos Estados Unidos para a Aliança Atlântica pela primeira vez desde o fim da Guerra Fria.

A sua implantação no Mediterrâneo estava prevista há algum tempo, mas depois coincidiu com a crescente tensão na fronteira ucraniana devido à acumulação de tropas russas, que acabaram por invadir o país vizinho em 24 de fevereiro.

Além disso, o grupo anfíbio Kearsarge também está sob o comando da NATO e está atualmente a operar no mar Báltico para exercícios com aliados e parceiros de organizações transatlânticas.

O exercício de vigilância “Escudo de Neptuno 2022”, que integra capacidades de ataque expedicionário marítimo de ponta de terra, mar e ar, acontece no Báltico, Adriático e Mediterrâneo.

Os países participantes são Albânia, Alemanha, Bulgária, Croácia, Dinamarca, Eslovénia, Espanha, França, Grécia, Itália, Letónia, Lituânia, Países Baixos, Polónia, Portugal, Reino Unido, Roménia e Turquia.

As atividades estão centradas em superar as complexidades de integrar o comando e o controlo de um grupo de ataque de porta-aviões, um grupo anfíbio e uma unidade expedicionária marinha da NATO.

JML// RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS