Polícia Federal insatisfeita com Jair Bolsonaro anuncia greve no Brasil

Os agentes da Polícia Federal brasileira anunciaram hoje que vão convocar greves parciais e progressivas em protesto às promessas não cumpridas pelo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, em relação a salários e planos de carreira.

Polícia Federal insatisfeita com Jair Bolsonaro anuncia greve no Brasil

Polícia Federal insatisfeita com Jair Bolsonaro anuncia greve no Brasil

Os agentes da Polícia Federal brasileira anunciaram hoje que vão convocar greves parciais e progressivas em protesto às promessas não cumpridas pelo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, em relação a salários e planos de carreira.

A decisão consta numa nota adotada e publicada depois de uma assembleia geral da ADPF – Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, na terça-feira, e na qual também consta um pedido de demissão do ministro da Justiça, Anderson Torres.

Esta exigência, segundo o comunicado, é uma reação ao alegado “desprestígio e desrespeitoso tratamento dado pelo Presidente da República à Polícia Federal e ao próprio ministro”.

O conflito com os agentes desse órgão, que constituem parte da base política de Bolsonaro, se arrasta desde dezembro passado, quando o Presidente anunciou um aumento salarial para a Polícia Federal que ainda não se concretizou.

Após esse anúncio, sindicatos dos servidores do Governo central protestaram contra a preferência de Bolsonaro pela Polícia Federal e convocaram uma série de greves escalonadas, que continuam até hoje em diversos órgãos, como o Banco Central.

No comunicado, a ADPF diz que “é importante destacar que a segurança pública foi a principal bandeira da campanha” de Bolsonaro para a Presidência nas eleições de 2018 e qualifica como “vergonhoso” que agora não respeite “valores éticos, palavra e honra”.

A ameaça de greve da Polícia Federal e as paralisações já em curso em outros órgãos públicos ocorrem num momento em que Bolsonaro se prepara para a campanha eleitoral de outubro próximo, na qual tentará renovar o seu mandato.

As pesquisas, no entanto, até agora não o favoreceram e colocam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, grande antagonista de Bolsonaro e que governou entre 2003 e 2010, como o favorito.

CYR // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS