Nacional D. Maria na rede de teatros europeus para a neutralidade carbónica em 2030

O Teatro Nacional D. Maria II é uma das 46 estruturas da Convenção dos Teatros Europeus que subscreveram o Código de Ação Sustentável, hoje anunciado, destinado a erradicar as emissões carbónicas no setor até 2030.

Nacional D. Maria na rede de teatros europeus para a neutralidade carbónica em 2030

Nacional D. Maria na rede de teatros europeus para a neutralidade carbónica em 2030

O Teatro Nacional D. Maria II é uma das 46 estruturas da Convenção dos Teatros Europeus que subscreveram o Código de Ação Sustentável, hoje anunciado, destinado a erradicar as emissões carbónicas no setor até 2030.

“É de extrema importância que o Teatro Nacional D. Maria II, enquanto um dos teatros públicos europeus membros da ETC [European Theatre Convention], assuma este compromisso conjunto de alcançar a neutralidade carbónica em 2030, perseguindo o progresso através da sustentabilidade e da tomada de decisões mais conscientes e mais equitativas”, lê-se no comunicado do teatro, hoje divulgado.

A European Theatre Convention (ETC) é uma das maiores redes de teatros públicos da Europa, ao agregar instituições de 25 países europeus, e o Teatro D. Maria II é único português presente nesta estrutura, da qual faz parte desde 2018.

O Código de Ação Sustentável tem como objetivo erradicar as emissões carbónicas até ao final desta década, na perspetiva de um futuro sustentável, consciente e justo, como sublinha o comunicado.

O objetivo “implicará alterações na atividade que decorre no edifício e também nas inerentes às várias produções teatrais”, refere a presidente do conselho de administração do D. Maria II, Cláudia Belchior, citada no comunicado.

A iniciativa foi anunciada no termo da Semana New European Drama, coordenada pela ETC, e traduz-se num plano mais abrangente, o Código de Ação Sustentável para Teatros.

No Código de Ação agora lançado, os vários teatros europeus membros da ETC comprometem-se em medir, compreender, reduzir e compensar a sua pegada ecológica, através da informação, mobilização e ação legal a nível europeu.

O plano a ser posto em prática por teatros como o D. Maria II, em Lisboa, o Théâtre de Liège, na Bélgica, o Teatro Stabile di Torino, em Itália, e o Teatro Nacional de Praga, na República Checa, é o primeiro a ser desenvolvido especificamente para o setor teatral, e dá um passo mais à frente em relação aos compromissos assumidos pela União Europeia, que definem a redução das emissões carbónicas, em pelo menos 55% até 2030, por comparação com os níveis de 1990.

Já o Código de Ação Sustentável para Teatros, lançado pela ETC, leva estas 46 estruturas artísticas a assumir um compromisso de neutralidade carbónica em 2030.

O Código define oito objetivos, entre os quais a definição de uma estratégia de sustentabilidade e diretrizes de ação para os teatros, que definam claramente objetivos e ações mensuráveis, para reduzir a pegada ecológica do setor.

A partilha de conhecimento, no que respeita a boas práticas, formação para os profissionais de teatro, para que possam alterar as suas práticas em termos comportamentais, artísticas e organizacionais, constam igualmente dos objetivos.

A criação de visões artísticas para um futuro mais verde e mais justo, incluindo a produção de narrativas, dramaturgias e espetáculos, o desenvolvimento de modelos de colaborações e de digressão justos, através do reforço da cooperação europeia e internacional, e o debate público entre artistas, cientistas e públicos, para moldar o diálogo social, são outros dos objetivos inscritos no Código.

O Código define ainda que deve ser criada comunicação e visibilidade, para apresentar os resultados obtidos, e produzida documentação legislativa, com vista a informar e influenciar as políticas reguladoras a nível nacional e europeu.

CP // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS