Covid-19: Timor-Leste regista nova morte, agosto mês mais mortífero desde início da pandemia

Timor-Leste registou hoje mais uma morte de uma pessoa infetada com o SARS-CoV-2, o 16.º óbito desde o princípio de agosto que se tornou já o mês mais mortífero desde o início da pandemia de covid-19.

Covid-19: Timor-Leste regista nova morte, agosto mês mais mortífero desde início da pandemia

Covid-19: Timor-Leste regista nova morte, agosto mês mais mortífero desde início da pandemia

Timor-Leste registou hoje mais uma morte de uma pessoa infetada com o SARS-CoV-2, o 16.º óbito desde o princípio de agosto que se tornou já o mês mais mortífero desde o início da pandemia de covid-19.

A vítima mortal de hoje, que aumentou o total desde o início da pandemia para 42, foi uma mulher de 50 anos, com história de cancro na mama, metáteses nos pulmões e anemia grave e que foi admitida no hospital no dia 07 de agosto.

Os dados diários divulgados pelo Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC) indicam que nas últimas 24 horas se registaram em Timor-Leste mais 267 casos, com 152 em Díli, 35 em Baucau, 20 em Ainaro, 13 em Covalima e 12 em Manufahi, entre outros.

Nas últimas 24 horas, registaram-se 113 recuperações, com o total de casos ativos a subir para 2.882 e o total acumulado de casos desde o início da pandemia a atingir os 13.700.

Cerca de um terço dos casos positivos detetados nas últimas 24 horas tinham sintomas de covid-19, tendo as autoridades realizado a nível nacional 1.322 testes.

Segundo o CIGC, o aumento significativo de casos deve-se à transmissão da variante Delta, confirmada em análises de sequenciação genómica realizadas em Melbourne, na Austrália.

Essas análises, a 22 amostras de Díli e 15 de Ermera, comprovaram a existência da variante Delta em 82,2% dos casos, indicando que se está a tornar a variante dominante no país.

No centro de isolamento de Vera Cruz, em Díli, há atualmente 57 pessoas, das quais 15 em estado grave (um com ventilador e os restantes com oxigénio), e 13 em estado moderado.

A taxa de incidência da doença é agora a nível nacional de 15,5 por 100 mil habitantes, com 38,3 por 100 mil habitantes em Díli e de 14,5 por 100 mil habitantes em Manufahi.

No que se refere à vacinação, os dados indicam que até ao momento já receberam a primeira dose a nível nacional 47,6% das pessoas com mais de 18 anos, tendo a vacinação completa 21%.

Em Díli a primeira dose chegou a 72,1% e a vacinação completa a 52,9%.

Ermera continua com a taxa mais baixa de vacinação, de 19,7% com a primeira dose e apenas 5,5% com a segunda dose.

ASP // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS