Estas são as mulheres que têm um maior risco de sofrer fraturas abaixo do joelho

Novo estudo vem dar a conhecer quais são as mulheres que têm uma maior probabilidade de vir a sofrer fraturas abaixo do joelho.

Estas são as mulheres que têm um maior risco de sofrer fraturas abaixo do joelho

Estas são as mulheres que têm um maior risco de sofrer fraturas abaixo do joelho

Novo estudo vem dar a conhecer quais são as mulheres que têm uma maior probabilidade de vir a sofrer fraturas abaixo do joelho.

Um novo estudo vem dar um sinal de alerta para algumas mulheres. Isto porque o trabalho realizado por um grupo de investigadores da Universidade Laval, situada no Canadá, vem dar a conhecer quais são as mulheres que têm uma probabilidade 40% maior de sofrerem fraturas abaixo do joelho. E são aqueles que têm um Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 40. Ou seja, que sejam consideradas obesas.

Seis dicas para dormir melhor nas noites quentes
As temperaturas altas são perfeitas para um belo dia de praia, entre mergulhos e banhos de sol. Mas à noite, quando tenta dormir, o calor pode ser o pior inimigo de uma boa noite de sono (… continue a ler aqui)

Os dados são apresentados em comparação com mulheres que têm um IMC de 25, que é considerado saudável. O estudo, destacado pelo jornal Metrópoles, realça ainda que as mulheres com IMC de 27,5, que é considerado excesso de peso, têm um risco 5% superior de fraturar os ossos. Já os homens, quanto menor o IMC, maiores são as hipóteses de partir os ossos. Especialmente nos braços. Este trabalho contou com 10 mil mulheres e 9.300 homens que foram acompanhados ao longo de seis anos.

Nos homens, quanto menor o IMC, maiores são as hipóteses de partir os ossos

Foi também tida em conta a circunferência abdominal dos indivíduos a estudo. Anne-Frederique Turcotte, a mentora do trabalho, salienta que a gordura visceral, que fica acumulada na zona da barriga, pode ser a responsável pelo enfraquecimento dos ossos. Algo que se deve à libertação de hormonas. “Também sabemos que pessoas com circunferência abdominal maior demoram mais para equilibrar o corpo quando tropeçam, por exemplo. Isso é mais claro quando o peso está concentrado na parte da frente do corpo, sugerindo que a indivíduos com mais gordura no abdómen têm maior risco de queda”, conclui.

Texto: Bruno Seruca; Fotos: Shutterstock

Impala Instagram


RELACIONADOS