António do Big Brother teve “date” com psicopata assassino e correu risco de vida

O concorrente do Big Brother António Bravo relatou o dia em que correu risco de vida em encontro marcado através do Tinder. Foi trancado numa casa por um homem que matara o seu verdadeiro ‘match’.

António do Big Brother teve “date” com psicopata assassino e correu risco de vida

O concorrente do Big Brother António Bravo relatou o dia em que correu risco de vida em encontro marcado através do Tinder. Foi trancado numa casa por um homem que matara o seu verdadeiro ‘match’.

António Bravo, concorrente do Big Brother, correu risco de vida num encontro com um psicopata assassino durante a sua passagem pela Austrália. A história foi recordada na primeira pessoa, esta quarta-feira, na casa mais vigiada do País. No jardim da mansão, vários concorrentes davam a sua opinião sobre o Tinder quando António Bravo referiu “ter uma história péssima” relacionada com a conhecida aplicação de encontros. “Nem gosto muito de falar sobre isto. Até fico meio arrepiado”, assumiu. Contudo, o concorrente do Big Brother acabou por partilhá-la e contou todos os detalhes sobre este caso sórdido pelo qual passou.

O responsável de Food & Beverage explicou que “nunca tinha usado Tinder”, tendo mudado de ideias, na Austrália, quando criou um perfil naquela aplicação porque “queria conhecer pessoas”. Lá, fez ‘match’ com “um gajo muito giro”, que lhe “parecia porreiríssimo” e com quem falou “imenso”. “Aquilo parecia impecável”, lembrou. António Bravo acabou por marcar um jantar com o homem. “Ele disse-me para ir ter a casa dele e eu fui”, continuou. E assim foi. Todavia, quando lá chegou, não encontrou o esperado. “Quem me abriu a porta foi um senhor mais velho. Ele disse-me: ‘Vens ter com o Erik? É o meu filho. Ele está cá dentro, mas está a tomar banho. Se quiseres, entra e senta-te’.”

Leia depois
Pesadelo fora do Big Brother. António Bravo traído, maltratado e manipulado por “ex”

“Quando fui abrir a porta da casa, estava trancada”, lembrou o concorrente do “Big Brother”

O agora concorrente do “Big Brother” aceitou o convite. Mas a verdade é que “o tal Erik nunca mais chegava”. “Já tinham passado para aí 45 minutos e não havia Erik algum. Não aparecia ninguém. Eu disse: ‘Vou só lá fora fumar um cigarro’. Quando fui abrir a porta da casa, estava trancada”, relatou. O homem que lhe abrira a porta, descrito como tendo “um ar normal”, mas com “qualquer coisa estranha nele”, ainda insistiu para que António Bravo se sentasse, prometendo-lhe que o suposto filho chegaria a qualquer momento ao seu encontro.

Contudo, o jovem não se convenceu. “Comecei a entrar em pânico. Comecei a perceber que não havia Erik algum. Disse: ‘Não, não. Abra-me só a porta. Eu só quero fumar um cigarro lá fora'”, relatou agora a outros concorrentes do “Big Brother”. O homem “começou a puxar” o responsável de Food & Beverage, mas o episódio de terror foi travado… por um incidente nas proximidades. “A sorte é que houve um incêndio na cozinha da casa ao lado. Era de um casal de fufas, por acaso. Estavam a fazer o jantar e aquilo começou a arder. Os bombeiros foram lá bater à porta. Foi a minha salvação. Senão, esqueçam…”, admitiu.

António Bravo conseguiu abrir a porta e foi “logo dizer” tudo aos polícias que se encontravam no local. “Acabaram por interrogar o homem” e a conclusão foi assustadora. “O Erik existia mesmo. As fotografias que ele mandava eram de um gajo que existia mas que tinha desaparecido. Tinha sido o velho, uns tempos antes…”, hesitou, sem completar a frase. “Mas o velho matou-o?”, questionou logo Bruno Almeida. “Sim… Uma cena hardcore”, confirmou o responsável de Food & Beverage. O homem que trancou António Bravo em sua casa “apropriou-se da identidade” do homem que assassinara e “andava a fazer-se passar por ele”. O agora concorrente do “Big Brother” poderia, portanto, ter sido uma das potenciais novas vítimas do psicopata.

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Reprodução Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS